Cassino
Advogada diz que idoso levado a banco para empréstimo no RJ chegou ao local vivo

da SLOTS: A advogada responsável pela defesa deErika de Souza Vieira Nunes,que levou um idoso morto ao banco para empréstimo, em Bangu (RJ), afirmou que o idoso chegou vivo à agência. Informações do Samue da Polícia afirmam, porém, que ele havia morrido há pelo menos duas horas.O caso viralizou nas redes na terça-feira (16).

da winbrl: Erika estava com Paulo Roberto Braga, de 68 anos, em umaagência bancária, afirmando que era sobrinha e cuidadora do idoso quando tentou sacar R$ 17 mil. A mulher foi presa em flagrante portentativa de furto mediante fraude e vilipêndio de cadáver.

“Os fatos não aconteceram como foram narrados. O senhor Paulo chegou à unidade bancária vivo. Existem testemunhas que no momento oportuno também serão ouvidas. Ele começou a passar mal, e depois teve todos esses trâmites. Tudo isso vai ser esclarecido e acreditamos na inocência da senhora Erika”, disse a advogada Ana Carla de Souza Correa.

Veja também

Em nota, a Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro disse que a investigação está em andamento na 34ª DP. Segundo a Polícia, “os funcionários do banco desconfiaram que o homem estava morto e chamaram o Samu, que confirmou a morte. A Polícia Civil foi acionada e a mulher foi levada para a delegacia”.

A Polícia afirma que o corpo do idoso será examinado no Instituto Médico Legal (IML) para identificação das circunstâncias da morte. “Agentes realizam diligências para esclarecer os fatos”, aponta o comunicado.

Hipóteses de investigação

Segundo o delegado Fábio Luiz, que concedeu declarações sobre o caso ao portal g1, o homem já estava sem vida quando foi levado à agência. Informações do próprio Samu foram consideradas para citar a hipótese.

“As pessoas do banco acharam que ele estivesse doente, passando mal, e chamaram o Samu. O médico do Samu, ao chegar no local, constatou que ele estava em óbito. E aparentemente, há algumas horas. Ou seja, ele já chegou morto ao banco“, afirmou.

A situação no banco foi gravada pelos próprios funcionários após a desconfiança de que o homem não estava bem.

Imagens do caso viralizaram nas redes sociais. Nelas, é possível ver que o idoso está em uma cadeira de rodas, e Erika tenta a todo momento manter a cabeça dele firme. “Tio, tá ouvindo? O senhor precisa assinar. Se o senhor não assinar, não tem como”, diz a mulher no vídeo.

“Assina para não me dar mais dor de cabeça, eu não aguento mais”, continuou ela durante a situação, quando a bancária afirmou que o homem estava visivelmente sem condições.

Agora, segundo o delegado, devem ser analisados outros detalhes da vida do idoso. “Ela se diz sobrinha dele. De fato, tem um grau de parentesco, segundo nossas pesquisas. E ela se diz cuidadora dele. Queremos identificar demais familiares”, disse ele ao g1.

Cassino
Real Madrid e Bayern de Munique vão se enfrentar pela vaga na final da Liga dos Campeões

da brwin: 17/04/24, 19:33

Real Madrid e Bayern de Munique vão se enfrentar pela vaga na final da Liga dos Campeões Imprimir

da Vasco da Gama: O Real Madrid está na semifinal da Liga dos Campeões. Depois de empate no tempo normal, por 1 a 1, e 0 a 0 na prorrogação, o time espanhol obteve a vaga, ao marcar 4 a 3 na disputa de pênaltis, nesta quarta-feira, na Inglaterra.

O adversário pela vaga na final da principal competição europeia será o Bayern de Munique, que eliminou o Arsenal, ao vencer por 1 a 0, na Alemanha.

Ao contrário dos eletrizantes 90 minutos disputados em Madri, Manchester City e Real Madrid começaram o segundo duelo com mais cuidado e estudo, mas o raro talento presente nas duas equipes fez mais uma vez a diferença. Pela primeira vez na partida a favor da equipe espanhola, com toque brasileiro.

Aos 11 minutos, Bellingham demonstrou total domínio da bola, Vinícius Junior disparou pela direita para cruzar, Rodrygo precisou finalizar duas vezes para superar o goleiro Ederson e abrir o placar para o Real Madrid.

O gol fez o ritmo do jogo ficar frenético, assim como se esperava desde antes do apito inicial do árbitro. O City foi para o ataque. De Bruyne, Bernardo Silva levaram perigo á meta de Lunin, enquanto Haaland acertou uma cabeçada no travessão. Tudo isso até os 18 minutos.

Demonstrando confiança e atitude, o Real não se intimidou e passou a ser perigoso nos contra-ataques. Um uma dessas jogadas, Vinícius Júnior deixou Carvajal em condições de empatar, mas a finalização foi na zaga inglesa.

Aos 26, De Bruyne arriscou forte chute e forçou Lunin a fazer grande defesa. Aos 31, Grealish fez jogada individual e conseguiu um escanteio. Era grande a pressão britânica. No minuto seguinte, De Bruyne tentou mais uma vez, mas andou a bola por cima do gol espanhol.

Os últimos 15 minutos da etapa inicial foram todos do City. Grealish e De Bruyne incomodaram bastante mais uma vez a zaga espanhola, mas não conseguiram o empate, que seria o resultado mais justo para a primeira parte da partida.

O City veio para o segundo tempo com a mesma vontade e logo a um minuto Grealish já fez Lunin trabalhar. O Real parece sentir um pouco a pressão e Nacho quase faz gol contra, aos 5. Dois minutos depois foi a vez de Foden testar Lunin, que fez mais uma boa defesa.

Com a forte pressão e a falta de um gol pelo menos para conseguir o empate, o nervosismo começa a tomar conta do time do City. Grealish, um dos jogadores mais ativos na partida, e Gvardiol recebem cartão amarelo.

O Real parece satisfeito com o resultado e se segura na defesa, enquanto o City está longe dos melhores momentos e, apesar do domínio territorial, falha demais na hora de decidir.

Mas, aos 30 minutos, a consistente defesa do Real falhou. Rudiger afastou mail e De Bruyne mandou a bomba: 1 a 1, tornando o clima do jogo ainda mais quente.

Empurrado pela torcida, o Manchester City fica com a bola quase 80% do tempo e teve a chance da virada duas vezes com De Bruyne, mas o belga falhou nas finalizações. Mais 30 minutos de jogo na prorrogação.

A postura imponente do Real sumiu em campo. O time de Carlo Ancelotti se posiciona inteiro atrás da bola, sem força para contra-atacar. 

O domínio no primeiro tempo da prorrogação foi do City, mas sem grande inspiração. E o time de Pep Guardiola quase foi castigado, aos 16 minutos, quando Rudiger, livre, diante de Ederson, perdeu grande chance.

Aparentemente os dois times sentiram a parte física nos últimos 15 minutos da prorrogação. A preocupação era não levar um gol porque não haveria força para reação. A decisão foi para os pênaltis. 

E Lunin defendeu dois pênaltis (Bernardo Silva e Kovacic. Ederson só pegou a cobrança de Modric. Para o City Julián Álvarez, Foden e Ederson converteram. Bellingham, Lucas Vázquez, Nacho e Rudiger acertaram.

BAYERN ELIMINA ARSENAL

O Bayern de Munique também está na semifinal da Liga dos Campeões. A equipe alemã venceu o Arsenal, por 1 a 0, nesta quarta-feira, na Allianz Arena. O resultado é importante para o time, que perdeu a hegemonia nacional de 11 anos para o Bayer Leverkusen.

Em Munique, a primeira parte do tempo inicial foi de domínio do Arsenal, que só não ficou em vantagem no placar por causa da boa atuação do goleiro Neuer, autor de pelo menos três belas defesas

Aos poucos, o Bayern soube sair da forte marcação inglesa e se impôs no campo de ataque. A melhor chance foi com Musiala, aos 23 minutos, mas David Raya defendeu.

O segundo tempo começa com o Bayern na pressão. Logo no primeiro minuto, acerta no mesmo lance o travessão com Goretzka e a trave com Raphael Guerreiro. Aos 17, Kimmich abriu o placar para a equipe alemã.

O Arsenal voltou a imprimir forte marcação no campo do Bayern e a pressão foi grande do time inglês, que abriu espaços para os contra-ataques da equipe alemã.

No fim, o Bayern ficou com a vitória graças à força de seu setor defensivo. O Arsenal sofreu coma falta de eficiência do ataque.

Fonte: Estadão Conteúdo

Você pode receber direto no seu WhatsApp as principais notícias do CidadeVerde.com• Clique aqui e faça parte
• Envie sugestão de pautaSiga nas redes sociaisTags: Real Madrid e Bayern de Muniquevão se enfrentarvaga na finalLiga dos Campeões

HIGHLIGHT
Helena Rizzo fala de climão com Alex Atala no MasterChef: ‘Constrangida’

Desculpa Alguma CoisaHelena Rizzo fala de climão com Alex Atala no MasterChef: ‘Constrangida’Colaboração para Universa, em São Paulo17/04/2024 14h00

Convidada do “Desculpa Alguma Coisa”, videocast de Universa com Tati Bernardi desta quarta-feira (17), a chef de cozinha Helena Rizzo fala sobre a polêmica envolvendo a referência feita a ela por Alex Atala durante o “MasterChef Brasil”. Ela também conta como ser jurada do programa a ajudou e por que decidiu deixar a carreira de modelo.

Durante o episódio em que rolou o climão, Alex Atala exaltou qualidades técnicas dos outros jurados e elogiou apenas a beleza de Helena ao falar dela.

No dia que acabou esse episódio, eu chamei uma pessoa da edição e falei pra não botar isso. Eu fiquei mal, com vergonha, a única coisa que consegui na hora foi abaixar a cabeça. Naquele contexto, fiquei constrangida. Quis escrever sobre, porque foi a público e senti necessidade. Não estou brigada com ele.
Helena Rizzo

  • Casagrande

    Bayern x Real será uma briga de cachorro grande

  • Reinaldo Azevedo

    Um Lira mais perturbado do que com foco

  • Carolina Brígido

    Ala do STF minimiza ofensiva de Arthur Lira

  • Tales Faria

    Sem bala, Lula vai provar armistício a Arthur Lira

A chef fala da decisão de participar do programa. “Eu tenho uma timidez. […] E falar na TV me pega nesse lugar: ‘vamos ver o que sai daqui’. E também poder compartilhar, sair um pouco da bolha. Eu me divirto fazendo. É um aprendizado pra mim.”

Helena também conta do período em que atuou como modelo. “Já sabia que não ia seguir [como modelo]. Nunca achei que ia ser uma Gisele Bündchen. Sempre fiz publicidade e às vezes ia fazer um trabalho que garantia o mês e é isso. Tive uma sede de independência muito cedo, terminando a escola.”

O “Desculpa Alguma Coisa” vai ao ar às quartas, às 20h, no Canal UOL, no YouTube de Universa e em plataformas de áudio.

Íntegra

Veja também
Deixe seu comentárioSó para assinantes
HIGHLIGHT
Mais da metade dos brasileiros têm internet de má qualidade, diz estudo

Fique por dentroMais da metade dos brasileiros têm internet de má qualidade, diz estudoSão Paulo17/04/2024 09h23

Um novo estudo sobre conectividade no Brasil revelou que cerca de 57% dos brasileiros que têm acesso a uma rede usam internet de baixa qualidade. A pesquisa, realizada pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), braço executivo do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), foi divulgada nesta terça-feira, 16, e destrinchou o cenário de conexão de internet no País.

De acordo com o estudo, chamado “Conectividade Significativa: propostas para medição e o retrato da população no Brasil”, houve uma alta no número de pessoas que acessam a internet no Brasil: agora, 84% da população têm internet em casa ou em algum dispositivo móvel e acessam a web pelo menos uma vez ao dia.

Mas apenas uma pequena fatia tem nas mãos uma internet que é considerada pelo órgão como satisfatória, ou seja, que atende a critérios como velocidade similar ao 4G, dispositivo inteligente, conexão fixa e frequência de uso.

  • Casagrande

    Bayern x Real será uma briga de cachorro grande

  • Reinaldo Azevedo

    Um Lira mais perturbado do que com foco

  • Carolina Brígido

    Ala do STF minimiza ofensiva de Arthur Lira

  • Tales Faria

    Sem bala, Lula vai provar armistício a Arthur Lira

Foram considerados no estudo algumas variáveis para construir um placar de 0 a 9, onde quanto mais perto de 9 maior a qualidade da conexão. Nessa relação, cerca de 57% da população se encontra na faixa mais baixa da pesquisa, com pior qualidade de rede. Aproximadamente 20% estão na faixa intermediária e apenas 22% estão na parcela considerada adequada.

“A complexidade do cenário atual, marcado por rápidos avanços tecnológicos, têm exigido um alargamento da compreensão sobre inclusão digital. Considerar o nível de conectividade de um país pela quantidade de usuários de Internet entre seus habitantes não é mais suficiente. Os debates mais recentes no Brasil e no exterior sobre a questão enfatizam a necessidade de pensar na conectividade de maneira abrangente”, destaca Alexandre Barbosa, gerente do Cetic.br/NIC.br.

A situação também varia por regiões no Brasil. No sudeste, por exemplo, 31% das pessoas têm acesso a internet considerada satisfatória, enquanto no nordeste do país, esse mesmo índice é de apenas 10%. O sul do país fica com 27% da população nessa faixa, enquanto no norte, apenas 11% acessam uma rede estável.

Apesar de ainda não significar uma melhora expressiva, os índices encontrados no estudo são um avanço em relação a anos anteriores. A análise retrospectiva identificou uma redução na diferença entre os dois extremos presentes no estudo. Em 2017, por exemplo, apenas 10% da população tinha uma internet considerada de qualidade.

“Esse quadro sugere uma tendência positiva, mas ainda que tenha sido detectada uma melhora progressiva, é preciso celeridade para reduzir as disparidades de conectividade no Brasil, que são reflexo direto das desigualdades que marcam a estrutura social do país”, alerta Graziela Castello, coordenadora de estudos setoriais no Cetic.br e responsável pelo levantamento.

Veja também
Deixe seu comentárioSó para assinantes
Cassino
Minuto Agência Pará: veja os destaques desta quarta-feira (17)

da Papo de Arbitragem: O governo do Estado  entregou benefícios do CredCidadão para mais de 600 famílias  em São Sebastião da Boa Vista na Ilha do Marajó. Também foram capacitados mil produtores rurais para melhorar a qualidade das amêndoas de cacau produzidas no Estado. Já em Belém,  o Estado promove curso profissionalizante para estimular o desenvolvimento econômico social no bairro da Terra Firme.

da cassinos com rodadas grátis no cadastro jogos win casino

HIGHLIGHT
Além da estética: reserva muscular é essencial na recuperação de doenças

SaúdeAlém da estética: reserva muscular é essencial na recuperação de doençasGabriela CupaniDa Agência Einstein17/04/2024 10h06

Longe de ser uma questão apenas estética, a musculatura é essencial para quem está em tratamento de qualquer doença. A falta desse tecido aumenta o risco de complicações e está associada a pior prognóstico.

Por isso é fundamental construir uma boa reserva ao longo da vida e tratar os casos de sarcopenia —a perda da massa muscular e da força—, alertam os especialistas.

Os músculos são protetores da saúde e têm relação com a imunidade. Diogo Toledo, médico nutrólogo do Hospital Israelita Albert Einstein

  • Casagrande

    Bayern x Real será uma briga de cachorro grande

  • Reinaldo Azevedo

    Um Lira mais perturbado do que com foco

  • Carolina Brígido

    Ala do STF minimiza ofensiva de Arthur Lira

  • Tales Faria

    Sem bala, Lula vai provar armistício a Arthur Lira

Eles têm sido identificados como um tecido-chave para o metabolismo porque conversam com todos os órgãos do corpo.

Pesquisas mostram que a perda de 10% leva à baixa imunidade e às infecções e, se chegar a 30%, há 50% mais risco de pneumonia e dificuldade de cicatrização.

Uma queda de 40% dobra o risco de morte.

Um estudo feito com pacientes internados em UTI (Unidade de Terapia Intensiva), liderado por Toledo, comprovou que aqueles que perdiam mais musculatura tinham piores desfechos, com mais tempo de uso de ventilador, maior período de internação e maior taxa de mortalidade.

O tratamento do câncer também é afetado pela sarcopenia. “Pacientes que têm mais músculos apresentam menos efeitos colaterais, como diarreia, vômito e fadiga, e melhor adesão ao tratamento”, diz o especialista.

Já nos casos cirúrgicos, quem tem pouca musculatura sofre maior risco de complicações pós-operatórias, necessidade de UTI e de home care (cuidados em casa).

Continua após a publicidade

“Recomenda-se que todos os pacientes, inclusive os oncológicos, façam tratamento para recuperar a massa magra com atividade física e suplementação”, diz o médico nutrólogo.

Claro, sempre sob a orientação médica. “Isso reforça a importância do tratamento interdisciplinar, incluindo profissionais de educação física, fisioterapia e nutrição, entre outros.”

Sarcopenia em idosos

Mesmo em idosos saudáveis, a falta de tecido muscular está associada à maior mortalidade por todas as causas.

A sarcopenia —e a sarcopenia associada à obesidade— aumenta em cerca de 30% o risco de morte em um período de dez anos, mostra um estudo que acaba de ser publicado no Jama, o periódico da Associação Médica Americana, que acompanhou quase 6.000 pessoas.

Continua após a publicidade

Os músculos representam entre 30% e 40% do nosso corpo e estão envolvidos em todos os movimentos, incluindo a mastigação, a deglutição e a respiração, além da postura corporal.

Depois de atingir o ápice, por volta dos 25 anos, ocorre uma perda natural, que se acentua após os 40, devido ao envelhecimento.

Obesidade, sedentarismo e doenças como o câncer, AVC (acidente vascular cerebral), Alzheimer, diabetes e doença renal crônica, entre outras, também provocam a perda muscular.

Por isso é essencial fazer uma boa reserva ao longo da vida, principalmente antes dos 40 anos, já que depois é mais difícil. Diogo Toledo, médico nutrólogo

Exames como a composição corporal e a medida da panturrilha, além de questionários específicos, com dados sobre a dificuldade de se locomover ou se levantar de uma cadeira, por exemplo, ajudam a avaliar a quantidade de músculos no organismo e diagnosticar a sarcopenia.

O tratamento é baseado em alimentação adequada, incluindo suplementação proteica, atividade física, com exercícios de força e resistência, além dos aeróbicos, e uma boa higiene do sono, pois os hormônios envolvidos na reparação dos tecidos são liberados enquanto dormimos.

Continua após a publicidade

No caso dos idosos, a recomendação também inclui exercícios de equilíbrio e funcionais, que simulam atividades da vida diária, como sentar e levantar.

“Esses são hábitos que devem ser adotados na rotina diária em todas as fases da vida, sem se focar em resultados imediatos e não sustentáveis”, afirma o especialista.

Veja também
Deixe seu comentárioSó para assinantes
HIGHLIGHT
Tendo em vista a Copa América, comitiva da CBF inicia vistoria nos Estados Unidos

EsporteTendo em vista a Copa América, comitiva da CBF inicia vistoria nos Estados Unidos18/04/2024 01h13

Tendo em vista a preparação para a Copa América, quatro integrantes da comissão técnica da CBF iniciaram na última terça-feira uma série de visitas de inspeção em hotéis e centros de treinamentos nos Estados Unidos, país-sede do torneio.

A vistoria servirá para definir o planejamento da Seleção Brasileira no período de preparação para a disputa da Copa América, que terá início no dia 20 de junho.

A comitiva conta com a presença de Sérgio Dimas, supervisor geral, Guilherme Passos, fisiologista, Vinicius Costa, administrador, e Carlos Eduardo Chazan, chefe da segurança. A primeira parada foi em Orlando, na Flórida, e os profissionais, além de visitarem as instalações esportivas na cidade, vão percorrer todos os possíveis trajetos da delegação na região.

  • Casagrande

    Bayern x Real será uma briga de cachorro grande

  • Reinaldo Azevedo

    Um Lira mais perturbado do que com foco

  • Carolina Brígido

    Ala do STF minimiza ofensiva de Arthur Lira

  • Tales Faria

    Sem bala, Lula vai provar armistício a Arthur Lira

Os integrantes da comissão técnica vão visitar também na quinta-feira (18) o College, no Texas, local do primeiro amistoso da Seleção durante a preparação. No dia 8 de junho, o Brasil enfrentará o México, no Kyle Field.

Já o segundo amistoso da fase preparatória será contra os Estados Unidos, no dia 12 de junho, no Camping World Stadium, em Orlando, na Flórida.

O time comandado por Dorival Júnior já tem os adversários definidos para a disputa da primeira fase da Copa América. A estreia será contra a Costa Rica, no dia 24 de junho, no SoFi Stadium, em Inglewood, próximo a Los Angeles, na Califórnia. Depois, no dia 28 de junho, a equipe enfrentará o Paraguai, no Allegiant Stadium, em Las Vegas, em Nevada.

No dia 2 de julho, o Brasil jogará contra a Colômbia, no Levi’s Stadium, em Santa Clara, também na Califórnia, no último duelo da fase de grupos.

A Seleção Brasileira já conquistou nove vezes a Copa América. O último título aconteceu em 2019, quando o Brasil era comandado por Tite.

Veja também
Deixe seu comentárioSó para assinantes
HIGHLIGHT
O mais fácil, o mais difícil e o mais legal dos embates na Copa do Brasil

Só para assinantesAssine UOLOpiniãoO mais fácil, o mais difícil e o mais legal dos embates na Copa do BrasilJuca KfouriColunista do UOL17/04/2024 15h16

A classificação mais fácil na terceira fase da Copa do Brasil será entre Flamengo e Amazonas porque sem torcida contra para o rubro-negro, que jogará em casa em Manaus. O Maracanã receberá o jogo de ida.

O mais legal parece o entre Fortaleza e Vasco, porque os cearenses adoram uma Copa e farão o primeiro jogo no Castelão.

E o mais difícil entre Inter e Juventude, repetindo as semifinais do campeonato estadual, quando o time de Caxias do Sul se deu melhor. O jogo da volta será em Caxias.

  • Casagrande

    Bayern x Real será uma briga de cachorro grande

  • Reinaldo Azevedo

    Um Lira mais perturbado do que com foco

  • Carolina Brígido

    Ala do STF minimiza ofensiva de Arthur Lira

  • Tales Faria

    Sem bala, Lula vai provar armistício a Arthur Lira

Além do Flamengo, o Palmeiras também se deu bem porque enfrentará o Botafogo de Ribeirão Preto, velho freguês e perto da capital paulista, palco do primeiro jogo.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Veja também
Deixe seu comentárioSó para assinantes
HIGHLIGHT
Adeus, carro elétrico? Tesla e outras fabricantes indicam mudança de rumo

CarrosCarros do FuturoAdeus, carro elétrico? Tesla e outras fabricantes indicam mudança de rumoJulio CabralColaboração para o UOL17/04/2024 08h00Atualizada em17/04/2024 08h00

Esta é a versão online da newsletter Carros do Futuro enviada hoje (17). Quer receber antes o boletim e diretamente no seu email? Clique aqui. Os assinantes UOL ainda podem receber dez newsletters exclusivas toda semana.

********

Os carros elétricos são vistos como parte fundamental do movimento de eletrificação total de veículos. Antes vistos como a maior solução para a mobilidade limpa, os veículos a baterias têm visto uma mudança no entusiasmo.

  • Casagrande

    Bayern x Real será uma briga de cachorro grande

  • Reinaldo Azevedo

    Um Lira mais perturbado do que com foco

  • Carolina Brígido

    Ala do STF minimiza ofensiva de Arthur Lira

  • Tales Faria

    Sem bala, Lula vai provar armistício a Arthur Lira

Afetados por baixas vendas, algumas fabricantes estão dispensando funcionários, enquanto outras estão revendo o investimento total previamente anunciado em automóveis “verdes”. O que está acontecendo?

É um grande conjunto de fatores. Um deles é que as previsões de vendas desse tipo de veículo feitas por muitas montadoras não se concretizaram. Devido ao custo elevado da transição para a eletrificação total e à adesão relativamente baixa dos consumidores, a União Europeia já pensa em flexibilizar as datas de proibição da produção de carros equipados com propulsores a combustão.

Tesla faz demissões em massa

As notícias mais recentes talvez preocupem os ambientalistas. A Tesla dispensou 10% da sua força de trabalho, medida tomada diante da queda no número de vendas. Em relação ao mesmo período do ano passado, a queda na comercialização de veículos da marca norte-americana foi de nada desprezíveis 8,5%.

A decisão foi tomada também em razão da forte concorrência de preços contra os temidos fabricantes chineses de carros elétricos, inseridos em um mercado em que modelos do tipo só crescem em volume de vendas, não apenas no mercado local. Estamos falando de um significativo corte dos cerca de 140 mil funcionários da companhia com sede na Califórnia.

Se antes somente os altos valores dos elétricos e a carência de matérias-primas e estrutura eram as principais preocupações, agora, depois da expansão global dos chineses, a empolgação sobre os eletrificados parece que está diminuindo aos poucos. Não chega ao ponto da desistência, mas as ações apontam para uma cautela maior, evitando a ruptura por completo.

Nesse contexto, vale destacar uma provável mudança nos planos iniciais do presidente norte-americano, Joe Biden. Uma das plataformas do seu governo é eletrificar metade dos carros novos americanos até 2030. É uma medida ousada para a terra dos motores V8.

A General Motors se tornou um dos símbolos dos carros elétricos ao anunciar que só produziria automóveis sem propulsores a combustão a partir de 2035.

Meta ousada, que foi reavaliada. Como noticiado em fevereiro, o grupo automotivo afirmou que híbridos plug-in não serão descartados. Para refrescar a memória, são modelos que contam com um motor a combustão convencional, combinado com um ou mais propulsores elétricos, e trazem baterias de maior capacidade, permitindo rodar o maior tempo possível na eletricidade.

A conterrânea Ford também segurou um pouco os seus investimentos anunciados de US$ 50 bilhões para a fabricação de veículos elétricos, postergando o gasto de US$ 12 bilhões desse total.

É importante ressaltar que as vendas de elétricos puros cresceram em 2023 no país, chegando a mais de 1,2 milhão de unidades. Já se fala em 1,9 milhão de carros em 2024, quando pode chegar a quase 1/5 do total do mercado.

Só que a previsão esbarra em fatores como o acúmulo de estoques e redução na demanda geral.

Continua após a publicidade

‘Queima de estoque’ na Europa

Os bons números de produção e vendas de carros elétricos observados globalmente em 2023 não se repetem em outros grandes mercados, como, por exemplo, a Alemanha.

Lá, o Grupo Volkswagen reportou queda de 24% na venda de elétricos na Europa. Modelos como o ID.3 estão sendo vendidos na promoção. Não deixa de surpreender o fato de que o sucesso na China é diferente. Por lá, o grupo alemão registrou um aumento de 91% na comercialização de elétricos.

Vale citar que o declínio contrasta com os 34,2% de ampliação na venda de elétricos registrada pelo conglomerado na Europa no ano passado.

O comportamento dos consumidores em relação aos veículos de emissão zero também parece dividido, aponta pesquisa da consultoria J.D. Power, segundo a qual cerca de 39% dos compradores recentes de carros elétricos afirmam que comprariam um híbrido ou um modelo a combustão. Quando questionados sobre o desejo de passar do elétrico para um automóvel híbrido plug-in, 48% afirmaram pensar nisso.

Problemas com rede de carregamento, valores mais elevados de compras e falta de incentivos maiores podem responder por essa mudança de demanda e maior busca de híbridos, veículos que dispensam carregadores em suas opções convencionais, ou, se forem plug-in, podem rodar apenas a combustão. Ou seja, são vistos como opções mais versáteis.

Parece que a Toyota tinha total razão quando apostou nos híbridos convencionais e plug-in com as principais saídas no movimento de eletrificação, destacando-se também por ter lançado o primeiro automóvel comercial movido a hidrogênio, o ousado Mirai.

De acordo com os planos da fabricante japonesa, devem ser lançados 55 modelos eletrificados até o ano que vem e dez totalmente elétricos, que devem responder por 50% da oferta somente em 2030.

Impulsionada pela liderança da Alemanha e de outros países, a União Europeia decidiu flexibilizar a meta do banimento de automóveis a combustão até 2035. Curiosamente, a exceção serão os modelos abastecidos com combustível sintético, tecnologia anunciada pela Porsche. Em pouco tempo, a oferta da alternativa deve baratear.

Seja como for, o mundo automotivo pode chegar a um ponto de mudança de planos em relação aos elétricos. Porém, não parece ser um movimento global, dado que os chineses estão mais entusiasmados.

****************

Continua após a publicidade

Newsletter

CARROS DO FUTURO

Energia, preço, tecnologia: tudo o que a indústria está planejando para os novos carros. Toda quarta

Quero receber

UOL Carros recomenda

Tesla abandona plano de elétrico ‘popular’ para investir em táxi sem chofer Leia mais

BBB das multas? O que fazem as novas câmeras que acompanham semáforos em SP Leia mais

Bombou nas redes

Como é o carro elétrico ‘barato’ que foi renegado por técnico do Palmeiras Leia mais

Seu carro esconde segredos: como liberar funções que você nem sabia existir Leia mais

Veja também
Deixe seu comentárioSó para assinantes
HIGHLIGHT
Tesla anuncia demissões em massa e reduz produção após vendas frustrantes

CarrosLançamentos e mercadoTesla anuncia demissões em massa e reduz produção após vendas frustrantesGabriel LimaColaboração para o UOL16/04/2024 12h53Atualizada em16/04/2024 12h53

A Tesla anunciou demissões em massa, com o desligamento de mais de 10% do seu quadro atual de trabalhadores, após a desaceleração das vendas de seus carros elétricos no primeiro trimestre de 2024.

Crise na Tesla

A marca norte-americana de carros elétricos comandada por Elon Musk relatou números considerados “decepcionantes” por analistas e investidores.

Potencialmente, 15 mil funcionários em todo o mundo devem ser demitidos pela Tesla – maior número dos últimos anos. A marca demitiu 2% de seu quadro de funcionários em 2017, 9% em 2018, 7% em 2019 e cerca de 3% em 2022.

  • Casagrande

    Bayern x Real será uma briga de cachorro grande

  • Reinaldo Azevedo

    Um Lira mais perturbado do que com foco

  • Carolina Brígido

    Ala do STF minimiza ofensiva de Arthur Lira

  • Tales Faria

    Sem bala, Lula vai provar armistício a Arthur Lira

Antes do anúncio das demissões, a Tesla desacelerou a produção em várias fábricas, incluindo Xangai, na China – sua fábrica mais eficiente.

Na fábrica do Texas nos EUA, a montadora também encurtou os turnos de produção do Cybertruck recentemente. Normalmente, a linha do Cybertruck trabalhava em turnos de 12 horas – das 6h às 18h e das 18h às 6h. Porém, estes turnos foram reduzidos para 11 horas de dia e 10h30min à noite.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

Veja também
Deixe seu comentárioSó para assinantes